Notícias

Baco Exu do Blues lança “Esú”, primeiro disco em carreira solo

By 4 de setembro de 2017 No Comments

Sagrado e profano, amor e desgraça. Entre dicotomias, polêmicas e muitas verdades, Diogo Moncorvo renasce em Baco Exu do Blues ao trazer versos contundentes em seu primeiro álbum de estúdio, Esú. O uso frequente de ironias exprime dilemas pessoais entre questões sociais, fazendo de sua música um manifesto em prol de minorias.

Baco teve ascensão meteórica na carreira depois do hit Sulicídio, lançado em parceria com o pernambucano Diomedes Chinaski. A partir daí, não parou mais.  Lançou 999 e Tropicália, abrindo caminho para participações em projetos como Expurgo e Poetas no Topo 2. Um ano após surgir no cenário nacional, surpreendeu a todos com o lançamento do Interlúdio En Tu Mira, faixa que integra o novo disco, onde aborda a doença do século na forma mais pura e sincera.

Esú traz a história de um personagem em transição, que passa por diversas provações, da depressão ao gozo. Autoestima, individualidade, onipotência, luxúria, sincretismo e empoderamento negro, são temas recorrentes no álbum. “Metade homem, metade Deus e os dois sentem medo de mim”, cita Baco na faixa que leva o título da obra, mostrando o encontro da fragilidade divina e a força humana.

A produção musical do disco ficou a cargo de TAS, no Cremenow Studio e a criação dos beats por Nansy Silvvz, exceto a faixa Intro, que tem a base feita por Scooby Mauricio e scratches de KL Jay. O resultado dessa junção é apresentado em 10 faixas que proporcionam uma viagem sinestésica, passando pelas ladeiras de Olinda, com o batuque do Maracatu, pelo Carnaval de rua com o choro da guitarra baiana, até as nossas matrizes africanas, com cânticos em Iorubá e batuques dos atabaques do candomblé.

Victor Costa

Victor Costa

Jornalista e flamenguista. Fã de Quinto Andar e Sabotage, é um curioso sobre o universo hip-hop. Escreve a coluna "O Rap pelo mundo" e produz vídeos para o canal do Raplogia.

Leave a Reply