Capital STEEZ, Religião egípcia, chakras, númerologia e ocultismo

Um dos grandes temas abordados e mencionados pela maioria dos rappers do mundo são suas crenças espirituais – ou a falta delas.

Com a grande influência do catolicismo na sociedade, é natural que a maioria dos MCs da cena professem esta crença. Mas, como em tudo, existem excessões e pessoas que seguem um caminho espiritual diferente.

Courtney Jamal Dewar, Jr a.k.a Capital STEEZ, Steelo, Jay STEEZ, ou como quiserem chamar, nascidos em 93, no Brooklyn, é um dos maiores exemplos desse outro caminho abordado.

STEEZ foi um dos fundadores do coletivo Pro.ERA, junto dos amigos CJ Fly, Joey Bada$$ e Powers Pleasent. Com alguns singles lançados e a impecável mixtape “Amerikkkan Korruption”, era uma das grandes promessas da cena de Nova Iorque.

O jovem, que na época tinha apenas 19 anos, morreu de forma precoce, no natal de 2012. A causa: Suicídio. Isso aconteceu dois dias depois do lançamento da clássica Mixtape de estreia do coletivo “PEEP: The aPROcalypse”.

Muitas teorias se desenrolaram desde então sobre a causa mortis do MC, e algumas dessas teorias se cruzam com as questões esotéricas que vamos abordar no artigo.

 

Mas, afinal, o que é ocultismo?

Ocultismo (ou ciência oculta) é um conjunto de teorias e práticas cujo objetivo seria desvendar os segredos da natureza e do Homem, procurando descobrir seu aspecto espiritual e superior. Ele trata do que está além da esfera do conhecimento empírico, o que é secreto ou escondido. O ocultismo está relacionado aos fenômenos supostamente sobrenaturais.

Fonte: Casa do Bruxo

Algumas pistas nos dão clareza sobre o momento em que Jamal passou a ser um seguidor assíduo dessas práticas, como a falta de empatia pelas religiões cristãs, viagens de ácido e outros motivos apontados pelos amigos do MC.

 

Numerologia e Chakras

47 é um número qualquer para nós, meros mortais. Já STEEZ tinha uma visão especial com relação ao número, que explica muito de suas crenças, rimas e também o polêmico logotipo do Pro.ERA.

A polêmica envolve a semelhança absurda entre o símbolo e a suástica nazista. Elementos como o círculo branco, símbolo preto em cima de uma bandeira vermelha dão o tom macabro para a arte. Mas, o lance é que o símbolo nada mais é do que a junção dos números 4 e 7.

47

Segundo a crença Iogue, nosso corpo é formado por 7 chakras básicos – Chakra é uma palavra do sanscrito que significa “roda de luz”. Eles funcionam como círculos energéticos que equilibram nosso corpo físico e espiritual. Cada um deles possui um nome, cor, cheiro e outros elementos específicos.

chakra

O quarto chakra fica situado no coração  e é  chamado de “Anahata” (Câmara secreta do coração). Já o sétimo chakra se situa na cabeça e se chama “Sahashara (Lótus das mil pétalas). Juntando ambos, temos o número 47, o equilíbrio entre mente e coração, corpo e espírito. Jamal acreditava nesse equilíbrio como a única forma de se ter uma vida plena na bondade e evolução.

Podemos encontrar essa citação em quase todas as letras do MC, como na faixa “Up Above”: “Smoking 47 blunts a day like true rastas”, o que se pode entende como na referência a maconha como uma forma de encontrar esse equilíbrio. Temos também a faixa intitulada “47 elements” e em quase todas as faixas do MC e várias outras do coletivo, que de certa forma absorvia muito das doutrinas esticadas por STEEZ em suas músicas.

Alguns posts do perfil pessoas do MC mostram mensagens trocadas entre ele e alguns amigos, onde podemos ter uma noção do quão importante e forte era essa crença no número 47. Ele afirmava que voltaria como uma divindade, no ano de 2047. Muito se fala sobre um possível diagnóstico de esquizofrenia, doença essa que pode ter avançado devido ao consumo excessivo de maconha e outras substâncias que poderiam colaborar para a piora no diagnóstico. Outras associando as crenças e comportamentos do STEELO como prova dele ser uma criança índigo, crença essa compartilhada também pelo MC. Nada se provou antes de sua morte e o que restam só especulações.

 

 

Religião Egipcia, Magia sexual e Sexo tântrico

A faixa “Interlude47” que compõe a Mixtape “The aPROcalypse”, é uma das mais bonitas letras escritas pelo coletivo, e também a maior prova dos crenças que os moleques tinham na época do lançamento, e essa letra vai servir  como base para entendermos  o que era o Pro.ERA, desde o significado do nome do coletivo, o símbolo do logo, e por fim, o que eles queiram dizer, por isso a reflexão sobre ela será mais longa.

Pro.ERA significa “Progressive Era”, um conceito espiritual que prega a evolução do ser humano como espirito, alma, ou como quiserem chamar. Dizem os estudos ocultistas que vivemos tempos de profunda transformação no planeta, o que explica, segundo essas crenças, os acontecimentos atuais.

Voltando a faixa, os primeiros versos são de Joey Bada$$, onde ele dispara duas linhas que dizem: “Eu entrego meu sangue para uma esplêndida rainha”, que pode ser entendido como uma referência aos sacrifícios de sangue que ocorram na antiguidade, e ainda hoje nas religiões de Matriz Africana. Pode ser usado para selar um pacto, alcançar algum objetivo pessoal ou virar enfermidades. A linha pode ter relação com um pacto de amor.

Na segunda linha, Joey manda o verso: “Veja, garota, eu tenho o toque de Midas. Tudo que eu toco vira ouro ..”. Midas é um Deus da mitologia Grega, onde a ciência oculta era grande influenciadora. A expressão “toque de Midas” tem um caráter metafórico, onde simboliza a prosperidade. Diz-se que um indivíduo que possui o “toque de Midas é aquele que têm a capacidade de fazer algo prosperar, que multiplica os lucros. Joey podia estar se referindo ao seu ofício como MC, vindo da primeira Mixtape do coletivo, projetando seu futuro como rapper (hoje podemos ver que ele tinha razão nessa linha), pois, depois de “1999”, foi se firmando como um dos maiores MCs dessa nova geração.

CJ Fly vem com o verso “Medite, então nossos espíritos se encontram na matrix”. Esse verso faz alusão aos sonhos lúcidos e projeção astral, dois métodos utilizados por magistas para visitar outros planos espirituais. O fato de “se encontrar na Matrix” é uma alusão a esta prática.

&

Kirk Knight faz um dos versos mais bonitos, onde diz: Siga seu coração, mas o sistema nos rasgará. O meu terceiro olho percebe que não posso perecer. Simples, eu sou um não crente ..”. 

O “terceiro olho” ou o olho da providência é um símbolo egípcio associado ao “Olho de Hórus” e faz referência ao olhar espiritual, onde as pessoas que tem esse terceiro olho desenvolvido podem enxergar além do plano material (na faixa “Blackkk Krown” o terceiro olho é referenciado no verso “Fucking hoes with they third eye close”). Assim, o MC descorre sobre ele não poder desistir, prevendo um futuro bom para ele. O termo “nao-crente” faz alusão às crenças pagas, pois, pessoas com essa crença eram consideradas “não crentes” pela Igreja Católica, na época da inquisição.

olhodehorus

O segundo verso do Kirk, “Mas foda-se tudo isso, eu só quero te amar em um nível quântico
Como prótons e elétrons ou energia elétrica dentro de mim” é uma referência a Física Quântica, que tem sido usada nos últimos anos para estudar os fenômenos espirituais a nossa volta, entre varios outros fenômenos da nossa existência. É um verso carregado de sentimento, pois demonstra um grande afeto pela pessoa que ele se refere na rima.

O verso mais denso de simbolos, referências e singificados fica mais uma vez com STEEZ. Praticamente toda a rima dele se baseia nas temáticas apresentadas.

“Let’s escape into the universe/But let me show you how to do it first/Sit patient till you feel a tingling sensation/Don’t start shaking, relax and try to take it”, que pode ser traduzido como “Vamos escapar para o universo/Mas deixe-me mostrar-lhe como fazê-lo primeiro/Sente-se paciente até sentir uma sensação de formigamento ..“.

Escapar para o universo, ou espaço, ou outros planos. Aqui é uma menção a projeção astral, o sair do corpo físico. Diz-se que, no momento em que a cérebro começa a perceber o desligamento do espirito de seu corpo físico, o corpo apresenta um estado vibracional, com formigamentos por ele todo.

“It all starts at the root/So let me drop my shoes when I step into your room” (Tudo começa na raiz/
Então deixe-me retirar os sapatos enquanto entro no seu quarto), se refere ao já abordado Chakra raiz, do topo da cabeça. Todo o processo se inicia por este chackra, e, uma forma de estimula-lo é ficando descalço, tento contato com o chão, a terra. “You ready for the ride, I suggest you hold on tight/And wrap your legs around me like you riding motorbike” (Você está pronto para o passeio, eu sugiro que você segure apertadoE envolva suas pernas ao meu redor como você andando de moto) é a primeira analogia com o Sexo Tântrico entre ambos, onde, dali em diante, se desenrola o processo da projeção astral.

“So relax, and you should have a drink or two/I wanna get inside you cause I’m already in to you/Said I’m already in to you/So what you wanna get into? What you wanna do?/Cause one of us gotta make a move” (Então relaxe, você deveria tomar uma ou duas bebidas/Eu quero entrar por você porque eu já estou dentro de você/Disse que já estou dentro de você/Então, o que você quer? O que você quer fazer?/Porque um de nós tem que fazer um movimento) é o verso final de STEEZ na faixa, que explica alguns métodos de relaxamento para atingir o grau de concentração necessário para o procedimento da projeção. Esse é um motivo pelo qual muitas religiões pagãs incluem o uso moderado de bebida alcoólica em seus rituais, além das questões esotéricas também. Quando ele diz que “quer entrar dentro dela”, ele se refere ao ato sexual, pois, espiritualmente ele há está dentro dela, dizendo de forma metafórica que els ente amor por essa garota.

Por fim, “Algum de nós tem que fazer um movimento” nada mais é do que o início do ato sexual, que permitira que o processo de projeção ocorra naturalmente.

“Interlude 47” é carregada de simbolismos, aqui falamos de alguns versos, mas, para quem se interessar pelo tema, a letra no Genius está com todas as anotações feitas.

 

A discografia do STEEZ atual é limitada, tendo apenas uma mixtape lançada, assim como os trabalhos com o Pro.ERA e alguns singles. Está previsto o lançamento de um disco póstumo para o fim de 2017 ou 2018, disco esse que já foi adiado algumas vezes. Mas, com o que acompanhamos até aqui é possível ver e entender a obsessão do jovem MC com os temas que falamos. Longe de julgamentos com relação as suas crenças e o que o levou ao suicidio, fica a linda obra do garoto, que, de forma geral, queria propagar uma mensagem de amor e paz no mundo caótico em que vivemos.

Rest in Peace, Jamal a.k.a Capital STEEZ, ou simplesmente “King Steelo”.

Facebook Comments

Marco Aurélio

Fotografo shows sujos onde frequento, escrevo rimas que nunca vou lançar e faço pautas sobre coisas que vocês (ainda) não conhecem.