Crítica: The Weeknd — My Dear Melancholy,

EP lançada às escuras traz melancolia e mais do mesmo após termino com Selena Gomez

The Weeknd - My Dear Melancholy,

Por Frederico Barros

Dois anos após Starboy (2016), The Weeknd lançou às escuras um novo EP com apenas seis músicas e uma participação. Após ter conquistado um novo público com um álbum mais comercial e dançante, Abel se tornou ainda mais conhecido com o namoro com a cantora Selena Gomez. Em My Dear Melancholy ela é o assunto central das seis músicas.

Em um aceno ao seu passado, o tom intimista conhecido pelas três grandes mixtapes Echoes of SilenceThursday House of Balloons é presente no novo EP, que tem um caráter sólido e lamurioso. De Call Out My Name até Privilege, não há uma música em que não fique presente a dor por conta do relacionamento acabado.

Se em termos de produção o trabalho não oferece grandes novidades ou mudanças com relação aos últimos trabalhos em que Abel buscou inovar, indo do pop ao techno, nas letras fica clara uma postura diferente do artista. Ao contrário das conhecidas músicas sobre drogas, mulheres e fama, ele expõe, de fato, suas cicatrizes e sentimentos, algo que só se viu em partes em Kiss Land Beauty Behind The Madness.

A presença do produtor e DJ Gesaffelstein dão um tom diferente para as últimas três músicas, em que as batidas suprimem um pouco a presença das letras. No fim, é difícil compreender a falta de preparação na divulgação do trabalho, que foi lançado com uma certa surpresa. Talvez este elemento tenha sido pensado para construir esse tom intimista e pessoal que se deu ao EP. Agora é esperar e ver o que será de Abel no próximo lançamento: se este é um aceno as origens ou retornará ao pop divagando sobre a fama, escondendo a sua melancolia.

 

Deixe seu comentário!

Jhonatan Rodrigues

Fundador do Raplogia em 2011, Joe é fã incondicional de Nas, futebol, cinema e séries de TV. Se apaixonou pelo hip-hop graças aos filmes sobre a cultura e escreve há 7 anos sobre o assunto na internet. Já passou pelo Rapevolusom e foi um dos moderadores do Genius Brasil.