DestaquesNotícias

Delatorvi: “O protagonismo tem que ser nosso”

By 13 de novembro de 2018 No Comments

Se um rapper precisa de atitude, Vitor Hugo Teixeira ou Delatorvi tem de sobra. Mineiro, de Nova Lima, tem 24 anos e é uma das revelações da cena do trap nos últimos tempos. Lançou a mixtape Gospel Gang em junho deste ano, mas não parou por aí. O clipe de Honesto, com KK Ousado, chamou bastante atenção nas redes sociais. O artista falou sobre seus trabalhos recentes e próximos projetos.

“A Gospel Gang foi um projeto muito legal, convidei pessoas que admiro muito e elas toparam numa boa. As participações são do Raffa Moreira, BrisaFlow, Oreia, Lil Vazio, Nexxt, Makalister, além do Nego E e o Izumed que entraram na Frango Frito, que é uma das minhas faixas favoritas. É uma mixtape que tá na linhagem do trap, mas já é algo mais diverso, como na Tilelê parte 2, produzida pelo B7Z, que é o meu DJ. Foi um processo criativo bem livre, com fotografia da minha prima, Camila Alda, uma fotógrafa negra, que fez a minha capa. A energia desse trabalho foi bem positiva e por isso acho que deu muito certo.”

Em relação a amizade com KK Ousado e seu último clipe, o trapper fala da rápida afinidade que ambos tiveram, mesmo conhecendo-se inicialmente pela internet. Até o momento em que Delatorvi desembarcou em São Paulo e tudo terminasse em música.

“Conheci o KK Ousado através de umas faixas que ele tinha disponibilizado com um produtor que acompanho, que é o Nansy Silvvz. Ele tinha uns trabalhos com o Raffa Moreira e depois ouvi uns trampos dele com o KK, daí ele estourou, admirei o corre e a postura dele e acho que é um cara que tem uma proposta musical diferente. A partir daí, começamos a trocar ideia pela internet e depois eu fui pra São Paulo, onde fiz uma gravação de voz. Ele gostou e então mandei uma guia pro Nagalli, o beatmaker que captou as vozes, mixou e também masterizou. E aí acabou saindo a Honesto, que o pessoal parece ter gostado.”

O clipe foi um trabalho realizado pela GuettoLife Filmes, com direção e edição de Bruno Leandro. No vídeo, Delatorvi veste a camisa do Villa Nova, clube mineiro que foi um dos primeiros a liberar a contratação de jogadores negros, fato extremamente criticado por ele. Quando se trata de questões raciais, o rapper é incisivo e nunca deixa de se posicionar.

“O Bruno pra mim é o melhor videomaker da cena trap do Brasil. Importante dizer que é um filmmaker negro, porque sabemos que existe um privilégio social para obter os equipamentos e ele é um moleque bom, de qualidade. A estética desse clipe vem de nós mesmos, o KK já tem alguns trabalhos como modelo e eu também gosto muito de estar antenado a isso, porque é um ponto muito importante.”

Ele também discorre sobre o título do videoclipe, uma alusão a um estilo de vida original ao invés de forjado. Para o artista, a maioria dos MCs da atualidade finge ser o que não é para conquistarem o público, algo condenável por muitos.

“A honestidade no mundo do rap é como em qualquer realidade de mercado. Acho até que o rap é um pouco moralista, porque ele tenta passar muitas verdades e acaba ocultando as suas mentiras, os seus erros. Mas nessa música eu falo mais da honestidade que falta em pessoas que interpretam personagens que elas não são, principalmente pessoas brancas. O mercado da música negra está sendo dominado por pessoas brancas por causa dessa interpretação, essa apropriação que a gente finge que não existe e usa a desculpa da miscigenação aqui no Brasil. O protagonismo deveria ser nosso, acho que não há nada mais honesto que as pessoas negras lucrarem mais no rap, isso estava deixando de acontecer, mas vai mudar porque a gente sempre se reinventa.”

Quando fala dos colegas de trabalho, destaca Raffa Moreira, um dos mais importantes trappers no Brasil, e DaLua, que recentemente assinou contrato com a UFO Records, além de outros nomes conhecidos para quem acompanha a cena underground. O respeito e reconhecimento pela competência destes é notório.

“Tenho algumas referências que me chamavam atenção antes e pra mim são pilares. Tem o DaLua, o Raffa Moreira, Izumed, Loc Dog… Mas eu também destaco o Zemaru, o Card, o Rodrigo Zin e a Lay. Esses quatro nomes são os que mais me chamam atenção ultimamente.”

Mas se o assunto é admiração, não titubeia e revela um lado mais pagodeiro ao falar que gostaria de gravar com Rodriguinho. Outro nome que figura na lista de ídolos é Prince, algo já esperado de quem possui uma canção chamada Jovem Negro que Se Sente Como Prince. Cassiano, Mano Brown e Alicia Keys completam o quinteto estelar.

“Se eu pudesse escolher alguém pra fazer um feat aqui no Brasil, sem dúvida alguma seria o Rodriguinho ou então o Ice Blue. Minha maior referência na música mesmo é o Prince, que pra mim é o artista supremo. Aqui no Brasil eu gosto de Cassiano e Mano Brown, são caras muito conceituais. Tem a Alicia Keys também, essas são as pessoas que eu gostaria de me equiparar musicalmente um dia. Sonhos, né?”

Ousado e irreverente, Delatorvi finaliza a conversa com mais uma novidade e manda um recado bem humorado para a concorrência. Pelo visto, não há barbeiro nem look fashion que se igualem ao seu swag. Será?

“Em breve tenho lançamentos, dia 4 de dezembro solto o single Pare-os, com participação da Lay. E pra finalizar, quero dizer que sou o rapper mais bonito e estiloso do Brasil (risos).”

Deixe seu comentário!
Victor Costa

Victor Costa

Jornalista e flamenguista. Fã de Quinto Andar e Sabotage, é um curioso sobre o universo hip-hop. Escreve a coluna "O Rap pelo mundo" e produz vídeos para o canal do Raplogia.

Leave a Reply