NotíciasReviews

Review: Kirk Knight deixa seu nome em evidência com Late Knight Special

By 1 de dezembro de 2015 No Comments

kirk-late-knight

A Pro Era chegou ao cenário com um plantel muito talentoso de artistas, sendo liderados por Joey Bada$$, que inclusive vem para o Brasil no próximo dia 12. Após a trágica perda de Capital STEEZ, por suicídio, a banca continuou nos corres para fazer seu nome no cenário, e hoje, graças a Joey, tem artistas em alta. Kirk Knight é um exemplo disso.

O rapper é um dos mais talentosos da Pro Era, logo atrás de Bada$$, e lançou o seu primeiro disco no mesmo ano que B4.DA.$$, fechando o ano do selo no positivo. Todo o conceito de Late Knight Special não foge do que os projetos antecessores á ele da banca trouxeram de conceito: é boom bap, mas é reformulado para soar moderno. A cabeça aberta dos emcees de lá faz com que o som feito seja algo bastante original, mesmo fazendo ode à old school, algo bastante notável por exemplo, na faixa 5 Minutes, com Joey, que traz inúmeras referências de flow e linhas interpoladas que pertencem a Biggie.

Confira as letras do disco no Genius

Produzido inteiramente por Kirk, com o auxílio de nomes como Thundercat e THEMPole em três faixas, o disco é extremamente pessoal, seja no lírico, seja na produção. Traz todo uma originalidade que só a Pro Era nos concede, trazendo muito do Rap novaiorquino dos anos noventa para uma roupagem mais contemporânea.

“I consider myself a storyteller/I’m a writer, I’m a producer, I’m an author/I’m an actor, I’m a director” narra uma voz retirada de algum monólogo na introdução de Heaven Is For Real. Ela reflete muito bem a figura de Kirk dentro do seu Late Knight Special: ele é o rapper/conta as histórias/autor, ele é o produtor/diretor. E ele faz todas essas funções muito bem. A tomada de responsabilidade de Kirk lembra muito a de J.Cole, que produziu basicamente todo o seu último disco, 2014 Forest Hills Drive.

O resumo de Late Knight Special é um disco muito bem feito. A maturidade lírica de Kirk assusta, pois o jovem de vinte anos recém completados é um grande liricista, que abusa das técnicas como composição, entrega e flow. O disco traz um sentimento bastante pessoal, isso deve-se, claro, a toda autonomia do rapper durante o desenvolvimento do projeto.

É um dos discos do ano, e se você ainda não o ouviu, moscou. Corre para o player mais próximo – tem um logo abaixo do texto mas não conta pra ninguém.

Deixe seu comentário!
Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Jhonatan Rodrigues

Jhonatan Rodrigues

Fundador do Raplogia em 2011. Ex-escritor do Rapevolusom e ex-Genius Brasil. Me encontre no Twitter falando sobre rap: @JhonatanakaJoe

Sem comentários

Leave a Reply