Texto e fotos por João Victor Medeiros

Na última semana, o The Internet passou voando pelo Brasil. Se apresentando no Rio de Janeiro, Porto Alegre e Sampa, colamos nesse último show que ficou com gostinho de quero-mais.

Influenciados por N.E.R.D., Jamiroquai, Dwele, Aaliyah, OutKast e outros, o The Internet joga isso tudo no caldeirão em uma receita que não tem como dar errado. Sendo uma extensão da extinta Odd Future (Syd e Matt Martians eram membros do coletivo), o grupo era aguardado há bastante tempo por aqui.

Essa vibração era perceptível no público que, desde a discotecagem de DJ Nyack – que passeou por Kendrick Lamar, GoldLink, Kaytranada e Masego – já se mostrava animado. Quando Steve Lacy subiu ao palco para dar a última afinação na guitarra, deu pra sacar que quase todo mundo ali tava realmente pra cantar e dançar The Internet – Todas.

DJ Nyack tocou minutos antes do show do The Internet e também fechou a noite.

Nas três primeiras músicas rolou de fotografar do pitch, a centímetros da banda. Apesar da operação de áudio ter deixado a voz de Syd um pouco baixa e abafada pelos instrumentos de cordas, a vibe do público junto ao tom de entrega do The Internet carregaram o show em uma atmosfera incrível até o final. A setlist (que você pode conferir no fim do post) é a mesma que tocaram em toda a turnê mundial recente, dando foco aos dois últimos discos, Hive Mind e Ego Death – os mais conhecidos. A fluidez foi impressionante.

O show começou com a primeira faixa de Hive Mind, “Come Together”, que conta sobre a reunião do grupo após a diferença de três anos entre o terceiro e o quarto álbum, período marcado pelo lançamento de projetos solo dos integrantes. “Roll (Burbank Funk)” e “Dontcha” deram seguimento, chamando o público pra celebrar a festa com muito groove.

Músicas como “La Di Da” e “Gabby” fizeram a transição para o bloco mais Pagode Pra Namorar™ do show, com a sequência de “Come Over”, “Stay The Night” e “Special Affair”. Não a toa, todo mundo cantou palavra por palavra dessas músicas. Melhor momento, SÉRIO.

A banda tava conectada com a platéia e Syd teve conversas sinceras com o público, ensaiando o refrão de “Just Sayin” e contando que tinha escrito a música pra uma ex-namorada, assim como confessando sobre seu quadro de depressão ao cantar “Its Get Better (With Time)”.

Depois de intensa turnê, terminar um show no Brasil, com a carga de exaustão sendo despressurizada por uma platéia fiel deve ser uma sensação incrível de missão cumprida. The Internet fechou a apresentação com “Get Away” e Syd foi amparada por seus colegas de banda após cair no choro. Com pouco mais de uma hora de duração, The Internet se despediu e deixou todo mundo querendo um show maior e completão, com os covers, músicas do Feel Good e Purple Naked Ladies.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foi rapidinho? Foi, mas nem por isso menos gostoso. Syd, também choramos. Não disse por onde. Voltem logo!

Deixe seu comentário!
Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter

Leave a Reply