808s & Heartbreak

O ano é 2008, o dia 24 de Novembro. Pouco mais de uma no depois da morte de sua mãe, Kanye West nos trazia um dos projetos mais significativos para o cenário hip-hop naquela década, o disco 808s & Heartbreak.

808s & Heartbreak foi o quarto disco de Kanye West. Um ano após atingir o ápice comercial com o projeto Graduation, o rapper resolveu trazer uma inovativa forma de fazer música e letras introspectivas para o cenário. Destoando daquilo que era feito na época, o álbum foi extremamente importante devido sua influência perante outros artistas.

O nome deriva do som e da temática que envolve o álbum. Kanye usou majoritariamente a drum machine Roland TR-808 para criar os instrumentais sintetizados do disco, enquanto as letras tratavam de falar sobre perdas, relacionamentos, e outros temas não tanto convencionais em rappers mainstream da época.

Além da morte da sua mãe, Kanye West terminou seu noivado com Alexis Phifer, o que catalisou muitas músicas do projeto. Além disso, a fama qual o rapper foi impulsionado nos últimos anos, vinha sendo um problema para ele. Esse é mais um assunto que aparece em 808s & Heartbreak.

808s & Heartbreak

O alto uso de auto-tune no projeto, rendeu críticas. O uso da ferramenta como uma espécie de suporte para o conceito do disco, tornando a voz de Kanye mais robotizada (como a de um robô sem sentimentos), foi um argumento bastante usado pelos fãs para defendê-lo. É um grande fato é que o auto-tune somou bastante para o projeto, e isso influenciou inúmeros artistas a fazerem o mesmo.

“Estávamos trabalhando nos remixes de “Lollipop” de Lil’ Wayne e “Put On” de Young Jeezy e ele se apaixonou pelo auto-tune,” disse Mike Dean.

Samples são poucos usados no disco, sendo o próprio Kanye com seu time de produção criando várias das melodias. Na época, essa foi uma grande diferença dos antigos projetos do rapper, que usavam muitos samples e eram construídos através desses recortes.

Kanye nunca colocou 808s & Heartbreak como um disco de rap, e se formos analisar, o trabalho soa bastante fora do escopo que o rapper sempre trabalhou. Os instrumentais sintetizados, fizeram do álbum um grande experimento de pop e synthpop.

Hoje o hip-hop é repleto de artistas que fogem do padrão do que era feito anos atrás. O responsável por essa onda de novos nomes é Kanye West, e 808s & Heartbreak pavimentou essa estrada antes nunca caminhada. Não só apenas sobre a musicalidade mas também referente aos temas: quem iria imaginar rappers falando de suas emoções de uma maneira tão verdadeira e tão longa?

Kid Cudi (apresentado ao mainstream através de 808s), Drake, Childish Gambino, Travis ScottThe Weeknd e muitos outros artistas beberam da fonte que Yeezy criou em 2008. Cudi, por exemplo, em seu disco de estreia lançado um ano depois de 808s & Heartbreak, fala sobre assuntos sensíveis e introspectivos que raramente eram falados no hip-hop na época. Drake e sua mixtape So Far Gone, também beberam bastante da influência.

Mesmo sendo considerado um dos piores projetos de Kanye West, 808s & Heartbreak mudou a indústria e a forma que os fãs veem seus artistas favoritos, mostrando suas fragilidades e como podem ter problemas semelhantes aos deles. Com os dez anos desse disco, podemos analisar perfeitamente o impacto dessa obra e como ela trouxe um grande ar de inspiração para novos artistas.

Deixe seu comentário!
Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Jhonatan Rodrigues

Jhonatan Rodrigues

Fundador do Raplogia em 2011. Ex-escritor do Rapevolusom e ex-Genius Brasil. Me encontre no Twitter falando sobre rap: @JhonatanakaJoe

Leave a Reply