Birth to InfinityColunas

Birth to Infinity #02: Anderson Hebreu

By 23 de julho de 2018 No Comments

Salve, leitores do Raplogia! Hoje trazemos o segundo post da nossa série “Birth to Infinity”. E pra esse post, convidamos o nosso parceiro Anderson Hebreu, colunista e fundador do site Noticiário Periférico, na ativa desde 2007, trazendo o melhor do RAP.

Tão preparados pro “87 to Infinity”? Então bora!

 

[1987] Boogie Down Produciotios – Criminal Minded

"Criminal Minded", álbum favorito de 1987 do Hebreu

“Criminal Minded”, álbum favorito de 1987 do Hebreu

Criminal Minded, lançado no inicio de 1987, foi produzido com vários samples de música do James Brown e AC/DC, e também apresentou uma influência de Dancehall. Os sons “South Bronx” e “The Bridge Is Over” aumentaram a rivalidade com o grupo Juice Crew.

Muitos pessoas dizem que este álbum foi um dos precursores do Gangsta Rap. Por conta da capa do álbum, que mostra Parker e Sterling rodeados por um arsenal de armas de fogo. Este é o primeiro álbum a fazer isto.

[1988] N.W.A – Straight Outta Compton

"Straight Outta Compton", o álbum favorito de 1988 do Hebreu

“Straight Outta Compton”, o álbum favorito de 1988 do Hebreu

“Straight Outta Compton” é o álbum de estreia do grupo da costa leste “NWA”. O álbum foi lançado em agosto de 1988 e os principais produtores deste álbum foram Dr. Dre e Dj Yella. Se o álbum Criminal Minded é visto como precursor do Gangsta Rap, Straight Outta Compton foi o que mostrou para todo o Estados Unidos o que é o Gangsta Rap. Este álbum foi o norte para outros rappers lançarem trampos neste sub-gênero do rap. Minha faixa preferida depois de “Fuck The Police”, que é clássica, e a “Express Yourself”.

[1989] Thaide e Dj Hum – Pergunte a quem Conhece

"Pergunte a quem Conhece", o álbum favorito de 1989 do Hebreu

“Pergunte a quem Conhece”, o álbum favorito de 1989 do Hebreu

“Pergunte a quem Conhece” não é meu favorito da Dupla. Eu já disse isto par muita gente, eu queria ter vivido os anos 80 para ver o nascimento desta cultura que tanto amamos e hoje é tendencia mundial.

O Thaíde é um dos meus mc’s brasileiro favorito, sempre que posso vou no show dele. Este álbum foi um marco para o dupla e para nosso rap, pois esta dupla com este álbum inspiraram nomes como: Mano Brown, Eduardo (Ex Facção) e Rubia do RPW. Gosto da faixa: “Coisas do amor” e “Corpo Fechado”.

[1990] A Tribe Called Quest – People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm

"People's Instinctive Travels and the Paths of Rhythm", o álbum favorito de 1990 do Hebreu

“People’s Instinctive Travels and the Paths of Rhythm”, o álbum favorito de 1990 do Hebreu

Muito difícil escolher um álbum do ATCQ, mas particularmente gosto muito deste álbum, tanto pela capa e pelo clima que ele proporciona.

O nome do álbum em português fica mais ou menos assim “Viagens Instintivas e os caminhos do ritmo”, este álbum literalmente é uma viagem que nos leva para dentro dele, mesmo não entendendo inglês, acredito que seja uma característica do grupo, pois todo álbum deles tem esta atmosfera.

[1991] 2pac – 2Pacalypse Now 

"2Pacalypse Now", o álbum favorito de 1991 do Hebreu

“2Pacalypse Now”, o álbum favorito de 1991 do Hebreu

2 Pac foi um dos primeiros rappers que passei realmente admirar, com a chegada da internet banda larga em casa, a primeira discografia que baixei foi deste mito. 2paclypse Now é seu álbum de estreia, álbum lançado em novembro de 91 pela Interscope. Neste período Tupac ainda não era o gangsta rapper da Death Row, o rapper presava pelo conteúdo em suas letras. “Trapped” e “Brendas Got a Baby” são os primeiros sucesso do pac, a MTV americana reprisava em exaustão estes sons.

Nestes sons o rapper aborda problemas sociais, como a brutalidade da policia, a pobreza, a gravidez na adolescia, o uso de drogas, e algumas questões que mostram como é a vida dos negros nos Estados Unidos.

[1992] Common – Can I Borrow a Dollar? 

"Can I Borrow a Dollar?", o álbum favorito de 1992 do Hebreu

“Can I Borrow a Dollar?”, o álbum favorito de 1992 do Hebreu

Não sei como este álbum não fez sucesso na época, ao lado do “Ressuretion”, Can I Borrow a Dollar?, ta entre meus favoritos do Common.

Common estreou em 92 com o single “Take It EZ” do álbum Can I Borrow a Dollar? ainda com o nome de Common Sense. Can I Borrow a Dollar?  não teve tanto sucesso comercial, mas estabeleceu alguns sólidos admiradores do rap underground que o consideraram um rapper bem consciente.

[1993] Guru – Jazzmatazz I

"Jazzmatazz I", o álbum favorito de 1993 do Hebreu

“Jazzmatazz I”, o álbum favorito de 1993 do Hebreu

Jazzmatazz é um belo projeto do rapper novaiorquino Guru, o primeiro volume é o primeiro álbum solo do rapper, Jazzmatazz vol.1, foi lançado em maio de 1993 e foi um dos primeiros álbuns de rap a combinar uma banda de jazz ao vivo com produção de rap.

O álbum apresenta colaborações vocais de Carleen Anderson, N’Dea Davenport (da Brand New Heavies) Dee C Lee e o francês MC Solaar.

[1994] Nas – Illmatic

"Illmatic", o álbum favorito de 1994 do Hebreu

“Illmatic”, o álbum favorito de 1994 do Hebreu

O primeiro álbum do Nas que ouvi foi o “Hip Hop Is Dead” em 2006, e na época eu achei um bom álbum, mas eu não tinha a maturidade musical que tenho hoje.

Ouvir Illmatic me fez olhar para o Nas com um olhar bem diferente do que eu o via nos clipes da MTV.

Illmatic é o primeiro álbum do rap da costa leste, o álbum foi lançado após assinar contrato com a Columbia. O rapper assinou contrato com a gravadora cerca de dois anos antes e as gravações e produção durou quase dois anos também. Se liga quem é o time de produtores.
O álbum conta com a produção de: Nas, Large Professor, Pete Rock, Q-Tip, L.E.S. e DJ Premier.

[1995] Mobb Deep – The Infamous

"The Infamous", o álbum favorito de 1995 do Hebreu

“The Infamous”, o álbum favorito de 1995 do Hebreu

“Me Against the World” do Tupac, e “The Infamous” do Mobb Deep são os meus álbuns de rap favorito lançado neste ano, claro que se eu puxar na memória aparece outro, melhor nem pensar.

The Infamous, segundo álbum da dupla, é outro álbum que é considerado como luz para outros rappers. Uma curiosidade é que a dupla já disse que o The Infamous é inspirado no Illmatic.

O álbum tem participação dos rappers Nas, Raekwon, Ghostface Killah e Q-Tip, que também contribuíram para a produção e mixagem do álbum.

 

[1996] 2 Pac – All Eyez On Me

"All Eyez On Me", o álbum favorito de 1996 do Hebreu

“All Eyez On Me”, o álbum favorito de 1996 do Hebreu

Como dito acima, 2pac foi o primeiro rapper que passe a admirar, por tanto claro que ele estaria mais de uma vez nesta lista.

Tupac era um rapper fora de série, após lançar o album “Me Against the World” em 1995, que é um puta de um álbum. Não contente Tupac lançou um álbum duplo, não pense que é um álbum com música pra fazer volume. “All Eyez On Me” é tido como o melhor trampo do Pac. All Eyez On Me é considerado o melhor álbum de rap feito nos anos 90.

 

[1997] Racionais Mc’s – Sobrevivendo no Inferno 

"Sobrevivendo no Inferno", o álbum favorito de 1997 do Hebreu

“Sobrevivendo no Inferno”, o álbum favorito de 1997 do Hebreu

Sobrevivendo no Inferno foi a minha entrada no rap, não é meu álbum favorito do Racionais, mas eu tenho uma memoria afetiva muito grande por este álbum. E não se assuste com eu dizer que não é meu álbum favorito. Sou muito fã do grupo gosto de tudo que eles lançam.

O álbum RaioX do Brasil é épico e o “Nada como um dia após o outro dia” eu já era adolescente e entendia melhor as letras, e foi onde passei a entender o que era ser um preto no brasil.

Mas Sobrevivendo no Inferno como foi minha entrada no rap, lembro das quebrada tocando racionais, as festas, toca fitas, eu vendo o povo dançando break nas quermesse e tal.

 

[1998] OutKast – Aquemini

"Aquemini", o álbum favorito de 1998 do Hebreu

“Aquemini”, o álbum favorito de 1998 do Hebreu

Aquemini é um puta de álbum, a sonoridade que o grupo trouxe neste álbum agradou aos fãs e aos críticos musicais. Aquemini, vendeu mais de 2 milhões de copias em 2 meses, entrou para o Hall da fama, e numa lista da revista Rolling Stones, como um dos 500 álbum para se ouvir sempre.

Uma curiosidade é que o nome do álbum é a mistura dos signos da dupla. Aquarium = Aquário (Big Boi) e Gemini = Gêmeos (Dré).

 

[1999] Ndee Naldinho – O Apocalipse

"Apocalipse", o álbum favorito de 1999 do Hebreu

“Apocalipse”, o álbum favorito de 1999 do Hebreu

O Ndee Naldinho é um dos grandes rappers brasileiro, fez sucesso a década de 90 toda e no começo dos anos 2000. Não posso afirmar, mas pelo que conheço de rap, o Ndee Naldinho talvez seja o primeiro rapper a misturar num álbum rap de protesto, com rap “romântico” e rap pra curtir.
Neste álbum por exemplo abre com o som “Essa e a Lei (Tributo a um 157)” depois a faixa “Fica Comigo” e no finalzinho do álbum tem a faixa “Som de favela”. O Ndee sempre se mostrou ser um rapper versátil.

 

[2000] Erykah Badu – Mama’s Gun

"Mama's Gun", o álbum favorito de 2000 do Hebreu

“Mama’s Gun”, o álbum favorito de 2000 do Hebreu

Erykah Badu dispensa comentários, ela é maravilhosa. Até hoje não esqueço da apresentação dela no Festival Batuque de 2016. Foi uma das melhores performances que vi na vida.

Mama’s Gun é o segundo álbum da Badu, foi lançado no fim de 2000, pela Motown Records. Ta explicado a qualidade, né? Este álbum é bem gostoso de ouvir porque ele transita pelo Jazz, Rap, Soul.

"Expansion Team", o álbum favorito de 2001 do Hebreu

Dilated People (Evidence, Rakaa Iriscience e DJ Babu) foi o grupo que me incentivou a me aprofundar neste mundo underground, este álbum é zica demais. Expansion Team é o segundo álbum do grupo da West Coast, sim isto mesmo, o Dilated Peoples é de Los Angeles. Liderado pelo clássico “Wort Comes to Worst”, este é considerado o melhor álbum do grupo. Eu considero pois tem produção de: DJ Premier, The Achemist, Questlove do The Roots e do JuJu do The Beatnuts.
"A Gangster and a Gentleman", o álbum favorito de 2002 do Hebreu

“A Gangster and a Gentleman”, o álbum favorito de 2002 do Hebreu

O Styles P é um grande rapper nova-iorquino que sempre transitou entre o mainstrean e o underground.

Conheci o trampo dele quando ele lançou o “Time Is Money” em 2006, que alias é meu álbum favorito do P. “A Gangster and a Gentleman” é o primeiro álbum do rapper e foi lançado pela Ruff Ryders. “Good Times”, “Black Magic” e “The Life” são o ponto alto do álbum.

 

[2003] G-Unit – Beg For Mercy

"Beg For Mercy", o álbum favorito de 2003 do Hebreu

“Beg For Mercy”, o álbum favorito de 2003 do Hebreu

Com certeza teve outros álbum foda lançado neste ano, mas em 2003 foi o ano que foi lançado “Get Rich or Die Tryin” do 50 cent e “Beg for Mercy”, álbum de estréia de seu grupo.

Este álbum me traz boas lembranças, eu tenho o piratão dele até hoje. Ouvi este álbum uns 2 ou 3 anos seguido.

Todo mundo passa por uma fase de ouvir o mainstrean, mas este álbum é muito bom e conta com produtores foda. Ele traz, Nottz, Dr. Dre, Eminem, Scott Storch, Hi-Tek, NO.ID dentre outros.

Uma curiosidade: o rapper Tony Yayo participa só de duas músicas deste álbum pois estava preso.

 

[2004] Strange Fruit Project – Soul Travellin 

"Soul Travellin", o álbum favorito de 2004 do Hebreu

“Soul Travellin”, o álbum favorito de 2004 do Hebreu

Simplesmente eu amo este grupo, STP é um do poucos grupos que tem uma discografia impecável, eu nem sei dizer qual é meu álbum preferido.

O grupo é originário de Waco, Texas, que é formado por Symbolyc One, seu primo Myth Emcee (abreviação de Mythological) e Myone emcee.

Uma curiosidade: O nome do grupo é derivado da canção “Strange Fruit” da Billie Holiday. (canção pró direitos civis dos negros)

 

[2005] Slum Village – Fan-Tas-Tic (Vol. 1)

"Fan-Tas-Tic vl.1", o álbum favorito de 2005 do Hebreu

“Fan-Tas-Tic vl.1”, o álbum favorito de 2005 do Hebreu

Quem não gosta de Slum Village bom sujeito não é!

Fan-Tas-Tic (Vol. 1) (às vezes escrito como Fantastic, Vol. 1), é um álbum de estúdio de estréia não oficial do grupo Slum Village. Ele foi formado por músicas de seu trampo demo, que foi gravado em 1996 e 1997, mas não lançado oficialmente até 8 anos depois. Este trampo vazou para o circuito subterrâneo e causou “muita agitação” em 1997. O álbum inteiro foi produzido por J Dilla.

 

[2006] MCK – Nutrição Espiritual 

"Nutrição Espiritual", o álbum favorito de 2006 do Hebreu

“Nutrição Espiritual”, o álbum favorito de 2006 do Hebreu

Um dos álbuns mais foda de toda a lusofonia, o álbum Nutrição Espirital do angolano MCK tem informação e conscientização de sobra. Apesar do nome não é um álbum religioso, é bem politizado.
E nos faz viajam nos problemas sociais que aflige o povo angolano.

 

[2007] Little Brother – GetBack

"GetBack", o álbum favorito de 2007 do Hebreu

“GetBack”, o álbum favorito de 2007 do Hebreu

Getback não é meu favorito, mas foi o primeiro álbum do Little Brother que ouvi, mas claro longe dele ser um péssimo trampo.

Este é o primeiro álbum em que o 9th Wonder não participa como produtor executivo, por motivo de treta com Big Pooh o produtor e DJ saiu do grupo. O 9th Wonder só produz a faixa “Breakin’ My Heart” com participação do Lil Wayne.

Uma curiosidade: A capa deste álbum é inspirada na capa do álbum “The Infamous” do Mobb Deep.

 

[2008] Pete Rock – NYs_Finest

"NYs_Finest", o álbum favorito de 2008 do Hebreu

“NYs_Finest”, o álbum favorito de 2008 do Hebreu

Após ficar quatro anos sem lançar um álbum o produtor Pete Rock lançou seu terceiro álbum.
O álbum conta com a participação de Papoose, Redman, D-Block, Jim Jones, Raekwon & Masta Killa.

Uma curiosidade: A capa do álbum foi criada por Fuse Green, e é inspirada na capa do álbum do James Brown “Hell”, lançado em 1974.

 

[2009] Cam’rom – Crime Pays

"Crime Pays", o álbum favorito de 2009 do Hebreu

“Crime Pays”, o álbum favorito de 2009 do Hebreu

Crime Pays é o sexto álbum do rapper Cam’ron, do Harlem. O que me impressiona no Cam’rom alem de sua rima, são as escolhas dos beats, os álbum dele e de sua banca Dipset a.k.a Diplomats são conhecidos pelas ótimas produções.

Crime Pays tem 23 faixas, com 6 skits e 17 músicas de alta qualidade.

 

[2010] Bun B-Trill O.G.

"Trill O.G", o álbum favorito de 2010 do Hebreu

“Trill O.G”, o álbum favorito de 2010 do Hebreu

Eu sou um grande entusiasta do rap do sul, seja Trap, Dirty South ou Crunk. Sou um fã de rap que não me limito a um sub-gênero.

Eu amo este álbum, alias eu adoro UGK.
Trill OG é o terceiro álbum do rapper e também é o terceiro da série Trill. Este álbum é tão zica que ele conseguiu receber a rara classificação de 5 Mic da renomada revista “The Source”.

"Thank H.E.R Now", o álbum favorito de 2011 do Hebreu

“Thank H.E.R Now”, o álbum favorito de 2011 do Hebreu

Eu simplesmente amo esta mulher, meu sonho é um dia ir ao um show desta mina. Sou fã dela a muito tempo, como sou fã do 9th wonder, sempre acompanhei seus trampos na Jamla Records. Com isto conheci a Rapsody isto la pra 2011 ou 2012. As mixtapes dela tem a mesma ou até mais qualidade que seus 2 álbuns. O 9th Wonder sempre soube extrair o melhor dela.Nesta mixtape por exemplo tem participação de: Phonte, Mac Miller, Halo, Estelle, Jean Grae, Tyler Woods, Marsha Ambrosius, Big K.R.I.T e Raekwon. Só gente de peso!



Meu álbum favorito do Kamau é o Non Du Cor Duco, mas acho que o álbum “Entre” foi um dos grandes trampos do ano, pelo menos é o que me vem em mente.Entre é o terceiro álbum do rapper paulistano, contra com a produção de DJ Suissac, Parteum, Munhoz, Nave, do saudoso DJ Primo, Filiph Neo e do próprio Kamau.

[2013] Emicida – O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui

"O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui", o álbum favorito de 2013 do Hebreu

“O glorioso retorno de quem nunca esteve aqui”, o álbum favorito de 2013 do Hebreu

Após o lançamento de mixtapes e ep’s, o Emicida lançou o magnifico álbum “O glorioso retorno de quem nem esteve aqui”.

Neste trampo o Emicida conseguiu reunir, poesia, rap, mpb e samba, com tudo soando bem harmonicamente. Gosto muito deste álbum pois ele foi lançando numa época bem pesada na minha vida e a música “Levanta e anda” e “Hoje cedo” são bem marcantes pra min.
"Rainha ginga do rap", o álbum favorito de 2014 do Hebreu

“Rainha ginga do rap”, o álbum favorito de 2014 do Hebreu

Eva é uma mc angolana que primeiro se destacou nas “Battle de Freetyle” como diz em angola, ficou famosa pelo seu alto poder lirico, principalmente pra cima dos homens, e claro a rua cobrou um trabalho oficial, já que a MC ainda não tinha, e em 2014 a mc lançou o álbum “Rainha Ginga do rap”
Gosto muito da faixa “Sexo, Drogas, Damas e Massa” que é uma clara e explicita critica ao machismo que existe no rap angolano.
Gosto também da faixa ”Rainha Nzinga do rap” musica inspirada na grande rainha de angola.
E da faixa “Tu é meu amor”, que é bem a cara de angola, pois é um rap misturado com zouk e kizomba, muito gostosa de ouvir!.
"Tha Truth", o álbum favorito de 2015 do Hebreu

“Tha Truth”, o álbum favorito de 2015 do Hebreu

Tha Truth é o sétimo álbum do rapper de Houston Trae tha Truth. Tha Truth é o primeiro álbum do rapper na gravadora Grand Hustle do T.I.

A produção do álbum ficou por conta do J.Cole, Jae Giant e League of Starz, e outros. Conta com a participação de seu parça de gravadora T.I, juntamente com outros rappers como Nipsey Hussle, Jeremih,Ty Dolla, Rick Ross, J.Cole e outros.

 

[2016] Mano Brown – Boogie Naipe

"Boogie Naipe", o álbum favorito de 2016 do Hebreu

“Boogie Naipe”, o álbum favorito de 2016 do Hebreu

Eu nem sei o que falar deste álbum, o Brown é genial. Ele ta facilmente entre os 5 cantores brasileiros mais geniais. Num tempo onde todo mundo quer fazer Trap, o Brown me vem com um álbum de Funk, Soul, Disco, Romântico, sem perder sua malandragem do rap.

É um álbum perfeito, desde a escolha das letras, as harmonias, as escolhas do músicos e dos cantores. Não posso deixar de falar do Lino Krizz, apesar da genialidade do Brown, ele não é cantor e tal, então, o Lino Krizz é quem ajuda o Brown a conduzir lindamente este álbum.

 

"Damn", o álbum favorito de 2017 do Hebreu

“Damn”, o álbum favorito de 2017 do Hebreu


2017 foi o ano dele, né? Damn é um álbum incrível, desde a mística criada envolta do álbum, até a qualidade do trampo. Poucos artistas conseguem criar um hype e não lançar um álbum superestimado. Damn é mais do que a maioria das pessoas esperavam.Eu poderia citar qualquer faixa como a minha favorita, mas gosto muito da faixa “YAH”. Nesta faixa o rapper narra como ele lida com seus conflitos como homem negros nos Estados Unidos, juntamente com sua fé. Nesta faixa é como se ele tivesse conversando com YAH (Yah é o nome de Deus em hebraico).

Curiosidade: Kendrick Lamar, anos antes de lançar Damnteve o contato com os “Black Hebrews” (Uma comunidade negra que acredita que os negros aqui na diáspora sao descendentes dos hebreus da bilbica), e passou a conhecer a historia de que dentre milhares de etnias e povos que vieram para as Américas, o povo hebreu que era preto e viviam em certos lugares da Africa, também vieram escravizados para cá. Isto talvez explica porque deste álbum ser tão mísstico.

[2018] The Mouse Outfit – Jagged Tooth Vrook

"Jagged Tooth Vrook", o álbum favorito de 2018 do Hebreu

“Jagged Tooth Vrook”, o álbum favorito de 2018 do Hebreu

Sinceramente eu conheço bem pouco sobre o grupo, pois faz pouco tempo que tenho voltado meus olhos para o rap feito na europa.

Mas “Jagged Tooth Vrook” é um dos álbuns lançado este ano que eu mais ouvi ao lado do EP “Espelho” da “Drik Barbosa.

Pelo que eu pesquisei, A The Mouse Outfit que é da cidade de Manchester (Inglaterra), é uma equipe de produtores e 8 bandas de rap fundadas e dirigidas pelos membros principais Chini e Defty.
É um álbum impecável, muito bem produzido!
 —–

Ufa, acabei! Espero que tenha gostado, abraços! paz!

Anderson Hebreu, colunista e fundador do Noticiário Periférico
Deixe seu comentário!
Share this...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Marco Aurélio

Marco Aurélio

Fotografo shows sujos onde frequento, escrevo rimas que nunca vou lançar e faço pautas sobre coisas que vocês (ainda) não conhecem.

Leave a Reply